Uma questão de teimosia (Krups Nespresso)

10

Uma avaria aparentemente banal e uma reacção ainda mais banal. M. queixa-se que o botão de Power da sua Nespresso Krups deixou faz tempo de cumprir a respectiva missão, a de ligar e desligar a máquina. “Um dia vemos isso”, é a resposta corriqueira que fica à espera de se cumprir. Meses. Nada de novo. Até ao dia em que M. me diz “O botão da Nespresso caiu!”.

Qualquer informático responde a uma afirmação dramática, devolvendo a afirmação na forma de pergunta: “Caiu? Como assim caiu o botão da Nespresso?”. A resposta é absurda, sabemos. Mas é mesmo assim.

Máquina na bancada, prometo-me não investir mais de alguns minutos a devolver o botão ao seu local original e a repor a Nespresso Krups em funcionamento. E é precisamente neste momento que este artigo começa a nascer.cabeçaovalkrups

A Nespresso Krups não tem parafusos banais. Isso. Numa manobra irritante (que infelizmente encontra eco em dúzias de fabricantes), esta máquina está dotada de parafusos de cabeça oval no intuito claro de dificultar ao máximo o acesso ao interior da máquina e canalizar o máximo possível de serviço de assistência técnica para as bancadas da marca ou de alguém por ela.

Sejamos justos. A Nespresso tem um serviço exemplar de atendimento técnico, máquinas de substituição, preço fixo de reparação (para este modelo, 40 Euros), mas achei que era absurdo pagar 40 Euros para recolocar um botão de Power no seu sítio. Foi por isso mesmo que quis abrir a máquina e entre mim e esse objectivo estão apenas quatro parafusos para os quais não tenho chave. Os parafusos estão no fundo de um tubo formado pela caixa da própria máquina, não me deixa grande margem para usar um alicate de pontas finas e obrigá-los a rodar.

Uma rápida busca na Web mostra-me aquilo que eu já sei, que há inúmeros relatos de pessoas que querem abrir as suas Krups para as reparar e que se debatem com os parafusos “custom” e que blasfemam perante a artimanha do fabricante. Tem de haver uma solução e a pergunta surge rapidamente “Onde se compra uma chave para estes parafusos?”

Há sempre uma resposta que implique comprar algo. Esta não é excepção. Mais buscas levam-me a um vendedor no eBay. 40 dólares por uma chave. “Devem estar a brincar”, penso, mas não estão. É a lei do mercado a funcionar.

Mais pesquisas, mais blasfémias e encontro alguém que comprou uma destas chaves. E decidiu vingar-se do vendedor, do fabricante, dos parafusos em geral e destes quatro em particular. O plano é delicioso. Genial, mesmo. O furioso comprador da chave de quarenta dólares anuncia ao mundo que está disposto a emprestar a chave a quem dela precise. Isto. Empresta a chave a quem a peça, a única contrapartida que pede é que o último a usá-la a envie pelo correio para uma morada a determinar. E há registos disto. A chave já fez várias voltas ao mundo desde 2010. Já sofreu vicissitudes. Já foi perdida por uma transportadora de renome mundial (que indemnizou o remetente e que deu azo a nova compra). É um plano solidário e universal. Estou seriamente tentado a aguardar a minha vez (a chave estava no Brasil no dia em que lhe consultei o status) e iria entrar em trânsito para a Austrália e dali viajaria para Portugal. Já cá esteve inúmeras vezes pelos relatos que leio. Acho tudo isto uma delícia mas ainda assim é demasiado tempo para aguardar a resolução da abertura da máquina.

Há discussões acesas sobre o método colaborativo que permite ultrapassar o problema. Há quem tenha maquinado alumínio para tentar produzir uma chave oval, há quem mostre esquemas mais ou menos engenhosos para lhes fazer rodar a cabeça oval. Um deles quase me tenta. Há uma ferragem no IKEA (um parafuso com uma camisa de alumínio) que esmagado com alguma precisão quase consegue resolver. Quase. Porque há muitos relatos de insucesso. De gente que chegou, num ataque extremo de irritação, a esmigalhar a máquina, amaldiçoando a Nespresso, a Krups e todas as gerações de fabricantes de máquina de café. Chegam a ser hilariantes alguns dos relatos e eu estou prestes a fazer um email a requisitar a chave americana.

Mas antes disso há um utilizador espanhol que sugere uma técnica que eu posso experimentar de imediato. Da Catalunha vem uma sugestão simples que parece ter alguma lógica e que experimento em poucos minutos. Um corpo de caneta BIC e um isqueiro. Aqueça-se a ponta do corpo da esferográfica a ponto de a fazer derreter e crave-se essa massa de plástico fumegante em ebulição dentro do poço onde o parafuso está escondido. Aplique-se alguma pressão para fazer moldar a cabeça do parafuso ao plástico e retire-se o plástico para arrefecer.

IMG_1717

Em pouco menos de um minuto tenho o primeiro parafuso extraído. O segundo cede logo a seguir. Fui avisado que o estratagema terá de ser repetido. O plástico, sob a acção do calor fica mais frágil e a ponta vai-se esboroando. Repete-se o aquecimento, a moldagem e o arrefecimento. Tenho todos os parafusos cá fora e a máquina Krups está aberta à minha frente.

IMG_1715

Infelizmente a avaria não é banal. O botão (que não é um switch banal mas sim um interruptor de três funções) está em estado FUBAR (Fucked Up Beyond Any Repair) e o seu preço é estupidamente alto face ao valor actual da máquina de café. A máquina está a funcionar (não sei se é a primeira vez que bebo Nespresso de uma máquina que funciona com uma ligação directa) mas os parafusos não se ficaram a rir.

IMG_1718

Share.

10 Comentários

  1. Espero que não se tenha esquecido de abrir umas ranhuras nos ditos parafusos antes de os voltar a colocar, Só para o caso de voltar a necessitar de abrir a máquina, o poder fazer com uma chave de fendas banal…

  2. Esquecimento meu de ter falado nisso, (e obrigado por me ter lembrado). Claro que os parafusos foram devidamente “serrados” para permitir futuras aberturas da máquina. Coloquei-lhe entretanto um botão genérico que “quase” cabia no orifício original.

  3. D-E-L-I-C-I-O-S-O! (não o café, mas a leitura do texto!)

    De resto, apenas de recordar que, nas feiras de velharias (vulgo ‘da ladra’) ou até no OLX, conseguem-se máquinas destas a preços escandalosamente absurdos, pelo que, poderia ser uma boa ideia considerar a sugestão caso necessite de substituir peças em estado FUBAR.

  4. Bom dia
    A chave a que se refer é muito mais simples de fazer do que parece. Basta comprar numa casa de ferragens um tubo metálico com um diametro interior de 5,5mm e apertar ligeiramente num torno para que a ponta fique com o formato pretendido. Estas máquinas costuma ter outra avaria que se confunde com um mau contacto no botão, (não é o caso reletado). Pode dar uma vista neste artigo que publiquei no meu blog.

    Mário Santos

  5. Bom dia Sr. Pedro
    Depois de conseguir moldar a caneta é facil rodar os parafusos? Também preciso abrir a minha maquina nespresso!!

  6. Aconteceu o mesmo à minha primeira Nespresso. A mesma cena de me pedirem um balúrdio pela reparação. Por acaso, não por coincidência, estavam a fazer promoções de umas novas máquinas , época natalícia , com a entrega da máquina antiga, faziam um desconto e assim comprei um modelo novo, upgrade , por metade do preço. Ok, eu sei que foi a Nespresso que ficou a ganhar, é sempre assim, Natal, desconto , blá, blá e lá vim com uma nova que até hoje , já lá vão uns 5 anos, ainda não lhe deu o treco dos botões. Ahah, agora já sei como fazer. Obrigado pela demonstração e o texto :)

Social Media Icons Powered by Acurax Web Design Company